QUEM SÃO ELES AFINAL DE CONTAS????

A Presidente afastada deu uma entrevista ao SBT dizendo que não vai renunciar, que não vai jogar a toalha, que não vai dar esse prazer a "eles"!   Lula vive dizendo que "eles" querem o retrocesso, "eles" querem acabar com os pobres, enfim, sempre se colocam como vítimas dessa incógnita terceira pessoa do plural.  Quem são "eles" então?  
A oposição?  a mídia?  a imprensa?  Nesse caso seriam  "elas" por uma questão de gênero! Os empresários poderiam entrar no contexto, porém, assim como os banqueiros, foram, como se pode perceber, os que mais faturaram dentro dos governos que se diz voltado para os mais pobres.  Tanto que grande parte deles estão presos ou em vias de serem.  correm para a caguetagem a fim de tentarem se salvar,  ao mesmo tempo em que os pequenos e médios fecham suas portas.
Me irrita profundamente esse termo genérico ao invés de colocarem nomes nos bois, ou vacas, quem sabe!

"-Eles não vão me derrubar"...!  Certo...já caiu!  Então caiu sozinha?  Ou foram "eles que derrubaram?

Dilma estufa o peito e diz que não irá "jogar a toalha" que não irá dar esse prazer a "eles".  Pois bem... O termo "jogar a toalha", vem da luta no ringue, quando o treinador resolve, por uma questão de humanidade, jogar a toalha para interromper definitivamente o massacre do seu lutador.  Não é o lutador que joga, mas sim o técnico que está lá, fora do ringue e confortavelmente a salvo das porradas.

Então, numa analogia mais apropriada e bem mais realistas, vemos a situação assim;

O lutador, que representa toda a população brasileira, ou todos "os" brasileiros, para um encaixe mais apropriado no gênero em questão, estão sendo massacrados, não por um, mas por vários adversários ao mesmo tempo.  Estão sendo arrebentados pela inflação, pela recessão, pelos juros estratosféricos, pela corrupção endêmica, pela economia debilitada, enfim, não é mais uma luta, e sim um linchamento espetacular.   E a dona excelentíssima, ilustríssima, madamesíssima, diz não jogar a toalha para não dar PRAZER a eles.

Com certeza, deve então, se imaginar com uma máscara, uma roupa preta, e um chicotinho na mão tal qual uma sádica assistindo sua obra prima de destruição acreditando tratar-se de resignados masoquistas se deliciando debaixo de porradas.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS